Educação Gráfica e Projetação Arquitetônica

As Relações Entre a Capacidade Visiográfica-Trídimensional e a Utilização da Modelagem Geométrica 3D

Rejane de Moraes Rêgo

2011 — 1ª edição

Estoque esgotado

Fora de Catálogo

Sobre o Livro

ISBN: 9788580390285
Páginas: 262
Formato: 20,5x28 cm
Ano de Publicação: 2011
Peso: 0.732 kg

Conteúdo

INTRODUÇÃO
  Observações, dúvidas e questionamentos: a construção da investigação
  Buscando uma fundamentação científico-metodológicapara a pesquisa
  Tipo de abordagem e instrumentos metodológicos
  Procedimentos de análise e interpretação
  Bases do quadro teórico-conceitual
  O processo projetual arquitetônico
  Linguagem gráfica
  Educação gráfica
  Educação projetual
  A estrutura do texto

1. DISCUTINDO O PROCESSO CRIATIVO PROJETUAL ARQUITETÔNICO
  1.1 A criatividade e os processos criativos
  1.1.1 Os tipos de pensamento envolvidos na projetação
  1.1.2 Capacidade visiográfica-tridimensional: propondo uma definição  
  1.2 Caracterizando a projetação arquitetônica  
  1.2.1 Dois paradigmas de descrição da projetação
  1.2.2 As fases de desenvolvimento da projetação
  1.3 A projetação como processo dialógico mediado pela linguagem e representação gráficas

2. DISCUTINDO A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA PROJETUAL
  2.1 O desenvolvimento da representação gráfica projetual
  2.2 A representação gráfica tradicional: tipos, características e finalidades
  2.2.1 Sobre desenhos para conceituação  
  2.2.2 Sobre desenhos para apresentação  
  2.2.3 Sobre desenhos para documentação
  2.3 A representação gráfica digital: os instrumentos e suas possibilidades
  2.3.1 As principais ferramentas CAD  
  2.3.2 Sobre os programas CAD dedicados
  2.3.3 Ações de projeto e classes de ferramentas CAD: observando as relações de adequação
  2.4 Relações entre a representação gráfica tradicional e a digital

3. CONTEXTULIZANDO A EDUCAÇÃO PROJETUAL E A EDUCAÇÃO GRÁFICA
  3.1 O ensino de arquitetura no Brasil: antecedentes históricos
  3.2 A Escola Nacional de Belas Artes e as mudanças no ensino de arquitetura
  3.2.1 Um olhar para o primeiro curso de arquitetura da Bahia
  3.3 Discutindo a educação projetual a partir do contexto tecnológico digital
  3.4 O ensino de desenho nos cursos de arquitetura: saber desenhar, um requisito para ser arquiteto?
  3.5 A educação gráfica: disciplinas e metodologias adotadas
  3.6 As mudanças da educação gráfica com a introdução dos recursos computacionais

4. A FASE EXPLORATÓRIA DA PESQUISA E SEUS DESDOBRAMENTOS
  4.1 Levantamento inicial para definição do universo de pesquisa
  4.2 Experiência I - descrição, análises, conclusões e encaminhamentos
  4.2.1 Observando o contexto da educação gráfica dos participantes
  4.2.2 Conhecendo os participantes - análise e interpretação das respostas ao questionário
  4.2.3 Análise e interpretação das respostas ao conjunto de exercícios de CV3D  
  4.2.4 A Experiência I - observando a CV3D através de exercícios de composição volumétrica
  4.2.5 Conclusões sobre a Experiência I e seus desdobramentos  
  4.2.6 Experiência Piloto para estruturação da Experiência II

5. OBSERVANDO AS RELAÇÕES ENTRE O USO DA MODELAGEM GEOMÉTRICA E O DESENVOLVIMENTO DA CV3D: AS EXPERIÊNCIAS II E III
  5.1 Experiência II - descrição, análises, conclusões e encaminhamentos
  5.1.1 Observando a estrutura da educação gráfica do curso de graduação
  5.1.2 Conhecendo os participantes da Experiência II
  5.1.3 A Experiência II - observando os exercícios de composição volumétrica
  5.1.4 Procedimentos de análises  
  5.1.5 Os critérios para interpretação dos resultados
  5.1.5.1 Interpretação dos resultados referentes à CV3D - critério 1
  5.1.5.2 Interpretação dos resultados referentes à CV3D - critério 2
  5.1.5.3 Interpretação dos resultados referentes aos aspectos da criatividade  
  5.1.6 Reflexões e encaminhamentos
  5.2 A Experiência III - desenvolvendo a Experiência II com estudantes de curso técnico em edificações do CEFET-PE  
  5.2.1 A educação gráfica do curso técnico em edificações do CEFET-PE
  5.2.2 Conhecendo os participantes da Experiência III
  5.2.3 Observando os exercícios de composição volumétrica da Experiência III
  5.2.4 Interpretação dos resultados referentes à CV3D (Grupo Edif/CEFET-PE)
  5.2.5 Interpretação dos resultados referentes aos aspectos da criatividade (Grupo Edif/CEFETPE)
  5.3 Analisando as experiências e seus resultados a partir das opiniões dos sujeitos

6. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES
  Recomendações e desdobramentos
  Bibliografia
  Referências bibliográficas  
  Bibliografia consultada
  Apêndices
 

Sinopse

Constatando que a educação gráfica nos cursos de graduação em arquitetura e áreas afins do Brasil adota, geralmente, padrões didáticos dos séculos XIX e XX, e não exploram adequadamente os instrumentos digitais para a modelagem geométrica 3D e, também, que a educação gráfica encontra-se desarticulada da educação projetual, a tese de doutorado apresentada nessa publicação discute a importância da educação gráfica para o desenvolvimento da educação projetual. Argumentando que o emprego de instrumentos gráficos digitais para a modelagem geométrica 3D tem o potencial de desenvolver a capacidade visiográfica-tridimensional (habilidade de perceber e compreender formas tridimensionais e expressá-las graficamente em representações bi e tridimensionais) de maneira mais completa, eficiente e rápida do que os processos tradicionais utilizados na educação gráfica, podendo ser adotado nos semestres iniciais dos cursos, a partir das experiências realizadas com grupos de estudantes a pesquisa aponta um um processo didático em educação gráfica combinando a utilização de instrumentos gráficos manuais e digitais, bem como explorando aspectos do pensamento criativo relacionados ao processo projetual.

Ver maisVer menos

Depoimentos sobre o livro

Envie seu depoimento

Seja o primeiro a publicar um depoimento sobre o livro!