Metodologia de Coleta e Manipulação de Dados em Sociolinguística

Raquel Meister Ko. Freitag

2014 — 1ª edição

Este livro leva 15 dias para ser impresso.

Disponível em estoque

Sobre o Livro

ISBN: 9788580390865
Páginas: 156
Formato: 17x24 cm
Ano de Publicação: 2014
Peso: 0.300 kg

Conteúdo

APRESENTAÇÃO

 Capítulo 1 ASPECTOS LEGAIS ENVOLVIDOS NA COLETA DE DADOS LINGUÍSTICOS

 Capítulo 2 ASPECTOS TÉCNICOS NA COLETA DE DADOS LINGUÍSTICOS ORAIS

 Capítulo 3 O PROJETO A LÍNGUA PORTUGUESA NO SEMIÁRIDO BAIANO - FASE 3: CRITÉRIOS DE CONSTITUIÇÃO E DA AMOSTRAGEM DO BANCO DE DADOS

 Capítulo 4 A LÍNGUA FALADA EM ALAGOAS: COLETA E TRANSCRIÇÃO DOS DADOS

 Capítulo 5 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS PARA UMA INVESTIGAÇÃO SOCIOLINGUÍSTICA COM A LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS

 Capítulo 6 O BANCO DE DADOS FALA-NATAL: UMA AGENDA DE TRABALHO

 Capítulo 7 REDES SOCIAIS, IDENTIDADE E VARIAÇÃO LINGUÍSTICA

 Capítulo 8 REDES SOCIAIS, VARIAÇÃO LINGUÍSTICA E POLIDEZ: PROCEDIMENTOS DE COLETA DE DADOS

 Capítulo 9 TRANSCRIÇÃO DE ENTREVISTAS SOCIOLINGUÍSTICAS COM O ELAN

 Capítulo 10 TRATAMENTO DE DADOS COM O R PARA ANÁLISES SOCIOLINGUÍSTICAS

Sinopse

O Workshop Metodologia de Coleta e Manipulação de Dados em Sociolinguística, realizado nos dias 16, 17 e 18 de fevereiro de 2014, na Universidade Federal de Sergipe, com o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES, Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP, e da Fundação de Apoio à Pesquisa e Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe - FAPITEC, Programa de Auxílio ao Pesquisador para a Realização de Reunião ou Evento - PRAEV, reuniu pesquisadores e estudantes da área de Sociolinguística com o objetivo de fomentar a discussão, compartilhamento e cooperação para o desenvolvimento de protocolos de pesquisa para padronizar os procedimentos de organização de bancos de dados sociolinguísticos. Resultante do Worskhop é esta coletânea de textos, dividida em quatro partes. A primeira parte contempla aspectos pré-coleta de dados: a adequação aos preceitos éticos de pesquisa envolvendo seres humanos e a escolha de equipamentos para a gravação da coleta de dados. A segunda parte é dedicada ao compartilhamento de experiências de coletas de dados aos moldes clássicos da Sociolinguística. A terceira parte contempla coletas de dados que considerem aspectos da terceira onda de estudos da Sociolinguística, considerando redes sociais e comunidades de práticas. A quarta e última parte trata de ferramentas computacionais para o armazenamento e manipulação de dados linguísticos.

Ver maisVer menos

Depoimentos sobre o livro

Envie seu depoimento

Seja o primeiro a publicar um depoimento sobre o livro!