Refrigeração

Ennio Cruz da Costa

Estoque esgotado

Sobre o Livro

ISBN: 9788521201045
Páginas: 324
Formato: 16x23 cm
Ano de Publicação: 1982
Peso: 0.500 kg

Conteúdo

1 - GENERALIDADES
1.1. Definição  
1.2. Produção do frio
1.3. Distribuição do frio
1.4. Conservação do frio
1.5. Aplicações do frio  

2 - REFRIGERAÇÃO MECÂNICA POR MEIO DE GASES
2.1. Princípios de funcionamento  
2.2. Elementos da instalação
2.3. Ciclo
2.4. Elementos de cálculos
2.5. Exemplo numérico
2.6. Dados práticos
2.7. Emprego

3 - REFRIGERAÇÃO MECÂNICA POR MEIO DE VAPORES
3.1. Princípio de funcionamento
3.2. Elementos da instalação
3.3. Ciclo 
3.4. Regime úmido e regime seco
3.5. Sub-resfriamento e superaquecimento
3.6. Ciclo de refrigeração a duas temperaturas de vaporização  
3.7. Ciclo com compressão por estágios  
3.7.1. Exemplo  
3.8. Ciclo binário ou em cascata  
3.9. Ciclo para a produção de gelo seco
3.9.1. Exemplo 
3.10. Ciclos frigorígenos para a liquefação de gases
3.11. Fluidos frigorígenos
3.12. Compressores
3.12.1. Generalidades
3.12.2. Compressores alternativos
3.12.3. Compressores alternativos em 2 estágios
3.12.3.1. Exemplo
3.12.4. Comportamento dos compressores alternativos no ciclo       
3.12.5. Compressores centrífugos 
3.12.5.1. Exemplo
3.13. Condensadores
3.13.1. Condensadores à água
3.13.1.1. Submersos  
3.13.1.2. De duplo tubo  
3.13.1.3. De serpentina e carcaça (Shell and coil) 
3.13.1.4. De tubo e carcaça horizontal (shell and tube,fechado) 
3.13.1.5. De tubo e carcaça vertical (shell and tube,aberto) 
3.13.2. Condensadores à água e ar em contato
3.13.2.1. Condensador atmosférico
3.13.2.2. Condensador evaporativo
3.13.3. Condensadores a ar 
3.13.3.1. Exemplo
3.14. Resfriadores
3.14.1- Resfriador de expansão direta para o ar
3.14.1.1. Tipo placa
3.14.1.2. Tubos lisos com circulação natural do ar
3.14.1.3. Tubos aletados com circulação natural do ar
3.14.1.3.1. Exemplo
3.14.1.4. Tubos molhados com circulação natural do ar
3.14.1.5. Superfície seca com circulação forçada de ar 
3.14.1.5.1. Exemplo
3.14.1.6. Superfície molhada com circulação forçada de ar     
3.14.2. Resfriadores de expansão direta para líquidos  
3.14.2.1. Submersos 
3.14.2.2. Duplo tubo
3.14.2.3. Tubo e carcaça tipo inundado  
3.14.2.4. Tubo e carcaça tipo seco
3.14.2.5. Cascata ou Baudelot
3.14.2.6. Tanque aberto
3.14.3. Resfriadores de expansão indireta  
3.15. Válvulas de expansão  
3.15.1. Generalidades
3.15.2. Classificação
3.15.2.1. Válvulas de expansão manuais
3.15.2.2. Tubos capilares 
3.15.2.2.1. Exemplo
3.15.2.3. Válvula de expansão tipo bóia de baixa pressão
3.15.2.4. Válvulas de expansão tipo bóia de alta pressão
3.15.2.5. Válvulas de expansão pressostáticas 
3.15.2.6. Válvulas de expansão termostáticas  
3.15.3. Distribuidores de líquido
3.16. Controles secundários
3.16.1. Válvulas de ação instantânea  
3.16.2. Válvulas de pressão constante
3.16.3. Válvulas termostáticas de pressão de aspiração
3.16.4. Reguladores servo-controládos da pressão de aspiração
3.16.5. Válvulas de retenção  
3.16.6. Válvulas de injeção termostáticas
3.16.7. Reguladores de partida 
3.16.8. Reguladores de capacidade
3.16.9. Válvulas solenóides
3.16.10. Termostatos de máxima
3.16.11. Pressostatos
3.16.12. Manômetros
3.16.13. Termômetros  
3.17. Aparelhos auxiliares 
3.17.1. Generalidades
3.17.2. Registros e válvulas manuais
3.17.3. Válvulas de segurança
3.17.4. Indicadores de líquido
3.17.5. Filtros e secadores  
3.17.6. Intercambiadores de calor
3.17.7. Separadores de óleo
3.17.8. Separadores de líquido
3.17.9. Purgadores de incondensáveis
3.17.10. Depósito ou receptores de líquido
3.18. Canalizações
3.18.1. Generalidades
3.18.2. Cálculo 
3.18.2.1. Exemplo
3.18.3. Traçado da rede
3.19. Sistema elétrico
3.20. Testes, carga, lubrificação e manutenção
3.20.1. Testes
3.20.2. Carga
3.20.3. Lubrificação
3.20.4. Manutenção

4 - REFRIGERAÇÃO POR MEIO DO VAPOR D´ÁGUA
4.1. Generalidades
4.2. Ciclo teórico
4.2.1. Exemplo 
4.3. Caso real
4.4. Cálculo do ejetor

5 - REFRIGERAÇÃO POR ABSORÇÃO
5.1. Generalidades 
5.2. Tipos de aparelhos
5.3. Cálculos
5.4. Exemplo de cálculo de um sistema de refrigeração à absorção, utilizando a solução NH3. H2O
5.5. Largura do processo  
5.6. Exemplo de cálculo de um sistema de refrigeração à absorção, utilizando a solução H2O - LiBr              
5.7. Dados práticos

6 - REFRIGERAÇÃO POR ADSORÇÃO
6.1. Generalidades 
6.2. Capacidade de adsorção
6.3. Influência da temperatura e da pressão sobre a adsorção 
6.4. Calor de adsorção  
6.5. Desumidificação do ar úmido por meio de materiais adsorventes
6.5.1. Exemplo 

7 - REFRIGERAÇÃO TERMOELÉTRICA
7.1. Histórico
7.2. Efeitos termoelétricos 
7.3. Materiais empregados
7.4. Vantagens e desvantagens da r

Sinopse

A obra é orientada no sentido teórico-prático de modo a dar tanto ao estudante como ao profissional os elementos de cálculo indispensáveis para a elaboração de projetos objetivos.

Fazem parte dessa publicação estudos tanto sobre a produção como a conservação e utilização do frio. 

Ver maisVer menos

Material de Apoio

Depoimentos sobre o livro

Envie seu depoimento

Seja o primeiro a publicar um depoimento sobre o livro!