Tomadas de Decisão com Ferramentas da Lógica Paraconsistente Anotada

Método Paraconsistente de Decisão - MPD

Fábio Romeu de Carvalho , Jair Minoro Abe

2011 — 1ª edição

R$ 71,00

Disponível em estoque

Sobre o Livro

ISBN: 9788521206071
Páginas: 214
Formato: 17x24 cm
Ano de Publicação: 2011
Peso: 0.366 kg

Conteúdo

INTRODUÇÃO

CAPÍTULO 1 A LÓGICA
1.1 Conceitos preliminares
1.2 A Lógica Clássica
1.3 As Lógicas Não Clássicas
1.4 A Lógica Paraconsistente
1.5 Lógica Paraconsistente Anotada (LPA)
1.6 Reticulado associado à Lógica Paraconsistente Anotada
1.7 Axiomatização da Lógica Paraconsistente Anotada Qτ

CAPÍTULO 2 A LÓGICA PARACONSISTENTE ANOTADA EVIDENCIAL Eτ 
2.1 Aspectos gerais
2.2 O reticulado das constantes de anotações
2.3 O conectivo da negação
2.4 Os conectivos da conjunção, disjunção e implicação
2.5 Quadrado unitário do plano cartesiano (QUPC)
2.6 O reticulado τ e os estados de decisão
2.7 Operadores da lógica Eτ (NOT, MÁX e MÍN)

CAPÍTULO 3 REGRA DE DECISÃO
3.1 Considerações gerais
3.2 O nível de exigência e a regra de decisão

CAPÍTULO 4 O PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO:
Método Paraconsistente de Decisão (MPD)
4.1 Considerações iniciais
4.2 Etapas do Método Paraconsistente de Decisão (MPD)
4.2.1 Fixação do nível de exigência
4.2.2 Escolha dos fatores de influência
4.2.3 Estabelecimento das seções para cada fator
4.2.4 Construção da base de dados
4.2.5 Pesquisa de campo
4.2.6 Cálculo das anotações resultantes
4.2.7 Determinação do baricentro
4.2.8 Tomada de decisão

CAPÍTULO 5 PROGRAMA DE CÁLCULOS PARA O MÉTODO PARACONSISTENTE DE DECISÃO (PC DO MPD)
5.1 Busca das opiniões dos especialistas na base de dados, uma vez conhecido o resultado da pesquisa (etapa 5)
5.2 Obtenção dos valores resultantes da evidência favorável e da evidência contrária para cada um dos fatores (etapa 6)
5.3 Cálculo dos valores dos graus de evidência, favorável e contrária, do baricentro (etapa 7)
5.4 A tomada de decisão (etapa 8)
5.5 A construção do algoritmo para-analisador (gráfico)

CAPÍTULO 6 EXEMPLOS DE APLICAÇÃO
6.1 Decisão sobre a abertura de um novo curso superior por uma instituição de ensino
6.1.1 Fixação do nível de exigência
6.1.2 Seleção dos fatores de influência e estabelecimento das seções
6.1.3 Construção da base de dados
6.1.4 Pesquisa de campo
6.1.5 Obtenção dos graus de evidências favorável e contrária resultantes para os fatores
6.1.6 Obtenção dos graus de evidências favorável e contrária do baricentro
6.1.7 Análise dos resultados
6.1.8 Análise da viabilidade do curso X na região Y, em outro cenário
6.2 Análise da viabilidade do lançamento de um produto
6.2.1 Fixação do nível de exigência
6.2.2 Escolha dos fatores de influência e o estabelecimento das seções
6.2.3 Construção da base de dados
6.2.4 Pesquisa de campo e cálculo dos graus de evidência favorável
e de evidência contrária resultantes para os fatores e os do baricentro
6.2.5 Análise dos resultados
6.3 Avaliação do projeto de uma fábrica
6.3.1 Fixação do nível de exigência
6.3.2 Escolha dos fatores e estabelecimento das seções
6.3.3 Construção da base de dados
6.3.4 Pesquisa de campo e obtenção dos resultados
6.3.5 Análise dos resultados e decisão final
6.3.6 Fidedignidade do MPD
6.3.7 Influência do nível de exigência
6.4 Análise de viabilidade da implantação de um sistema de manufatura que utiliza tecnologias avançadas
6.4.1 Coeficiente de desempenho de um novo sistema de manufatura comparado com o antigo, para um determinado fator de influência
6.4.2 Fixando o nível de exigência
6.4.3 Identificando os fatores de influência (atributos ou indicadores)
6.4.4 Estabelecendo as seções para os fatores de influência
6.4.5 Construção da base de dados
6.4.6 Análise de viabilidade da implantação de um Sistema Flexível de Manufatura
6.4.7 Análise dos resultados
6.5 Previsão de diagnósticos
6.5.1 Construção da base de dados
6.5.2 Cálculo do grau de certeza resultante para cada doença em decorrência dos sintomas apresentados pelo paciente 
6.5.3 A obtenção do diagnóstico previsto
6.5.4 Restrição para aceitar o diagnóstico previsto

CAPÍTULO 7 COMPARAÇÃO ENTRE O MÉTODO PARACONSISTENTE DE DECISÃO (MPD) E O MÉTODO ESTATÍSTICO DE DECISÃO (MED)
7.1 Um exemplo para consubstanciar a comparação
7.2 Uma breve revisão do método estatístico de decisão (MED)
7.3 Comparação entre MPD e MED: a distribuição do grau de certeza (H)
7.4 Comparação entre MPD e MED: a curva normal aderente (CNA)
7.5 A comparação entre MPD e MED: comparando as decisões
7.6 Uma outra visão da aplicação da estatística .

CAPÍTULO 8 UMA VERSÃO SIMPLIFICADA DO MÉTODO FUZZY DE DECISÃO E SUA COMPARAÇÃO COM O MÉTODO PARACONSISTENTE DE DECISÃO
8.1 Versão Simplificada do Método Fuzzy de Decisão (VSMFD)
8.1.1 Fundamento teórico
8.1.2 Aplicação da Lógica Fuzzy em tomadas de decisão
8.1.3 Uma aplicação simples da VSMFD
8.1.4 Outra aplicação da VSMFD
8.2 Um exemplo mais elaborado para a comparação dos dois métodos
8.2.1 Solução pelo Método Paraconsistente de Decisão - MPD
8.2.2 Solução pela Versão Simplificada do Método Fuzzy (VSMFD)
8.3 Comparação entre os dois métodos

CAPÍTULO 9 LEITURA COMPLEMENTAR:
Um exemplo do cotidiano

BIBLIOGRAFIA

Sinopse

Diversas são as lógicas complementares da clássica, tais como a lógica temporal, a lógica modal e a lógica deôntica. Dentre as lógicas rivais, destacam-se a intuicionista, a fuzzy e a paraconsistente. Convém lembrar que uma lógica não clássica pode, muitas vezes, funcionar, de acordo com as circunstâncias, ora como lógica rival, ora como lógica complementar da clássica.

A lógica paraconsistente nasceu motivada por questões de índole teórica, de interesse principalmente filosófico e matemático, bem como por problemas originados pelas ciências experimentais, por exemplo a física. Não obstante, ela acabou encontrando as mais variadas aplicações em áreas tais como computação, robótica, tráfego aéreo e de trens, distribuição de energia em grandes usinas, programação, redes neurais, pesquisa operacional etc.

Convém notar que uma lógica pode ser encarada como um mecanismo de inferência e de sistematização teórica, ou como formalismo de natureza técnica e informática. É sobretudo sob este prisma que os autores deste livro desenvolvem suas aplicações. Ademais, a obra tem basicamente em mira duas metas: 1) expor as ideias centrais de uma categoria de lógica paraconsistente, a saber, a lógica anotada; 2) tratar de aplicações desta última em tomadas de decisão, particularmente em Engenharia de Produção.

Não há dúvida de que esta obra será de enorme utilidade para uma vasta gama de leitores, desde pessoas interessadas em conhecer a lógica paraconsistente anotada, até engenheiros, cientistas e filósofos que desejarem ter uma noção tanto do domínio da paraconsistência, quanto das correspondentes aplicações técnicas. Este excelente texto é o resultado, acima de tudo, da grande capacidade didática dos autores, bem como da experiência que possuem no domínio da paraconsistência.

Ver maisVer menos

Material de Apoio

Depoimentos sobre o livro

Envie seu depoimento

Seja o primeiro a publicar um depoimento sobre o livro!