Ergonomia Cognitiva e Mente Incorporada

Gilbert Cardoso Bouyer

2008 — 1ª edição

Estoque esgotado

Fora de Catálogo

Sobre o Livro

ISBN: 9788561209513
Páginas: 216
Formato: 17x24 cm
Ano de Publicação: 2008
Peso: 0.287 kg

Conteúdo

1 - INTRODUÇÃO

2 - PROBLEMA DE PESQUISA E HIPÓTESES
2.1. Hipóteses de Pesquisa

3 - MENTE INCORPORADA NO TRABALHO
3.1. Distinções de Linguagem e Saber entre os diferentes domínios ontológicos de atuação
   3.1.1. A Clausura na Linguagem
   3.1.2. Distinções de saberes e código
   3.1.3. O observador, o agente atuante e os distintos domínios cognitivos
   3.1.4. Por uma intersubjetividade mínima nos sistemas de produção: A idéia da ação que gera compreensão
3.2. Embodiment e instrumentalização da atividade de trabalho
   3.2.1. Sobre a Atividade Instrumental no Trabalho
   3.2.2. Os instrumentos incorporados da ação competente: "Embodied Schemata"
   3.2.3. "Embodied schemata" (esquemas incorporados)
   3.2.4. "Embodied Schemas", Imagens e Proposições
3.3. Ação e Percepção no processo de trabalho
   3.3.1. A percepção no campo de atuação (umwelt) do agente
   3.3.2. Corpo e Campo de Atuação (umwelt) no Trabalho
   3.3.3. Agir, pensar e representar com o corpo no processo de trabalho

4 - MÉTODOS E PROCEDIMENTOS DE PESQUISA
4.1. Procedimentos iniciais de pesquisa e o método da Análise Ergonômica do Trabalho (A.E.T.)
4.2. Procedimentos de Entrevista neste Trabalho de Pesquisa
4.3. Os procedimentos de pesquisa em seu enfoque construtivista
4.4. Cognitive Work Analysis (C.W.A.) em conjunto com AET

5 - DADOS E ANÁLISES
5.1. Procedimentos de coleta de dados e controle de variáveis
5.2. Embodiment na IPC - Indústria de processo contínuo
5.3. O caso das distinções de incorporação na fábrica de cimento
5.4. O caso do "Armazenamento na forma de patrimônio" e projeto do sistema
5.5. Regulagens nos ventiladores da grelha
5.6. O caso da incorporação na siderurgia
5.7. O caso da fábrica de peças e carrocerias: ação e percepção na produção discreta
5.8. As habilidades atuacionistas e a competência incorporada na produção discreta
5.9. Procedimentos para objetivação das habilidades atuacionistas
5.10. Um caso de estudo experimental sobre a percepção na IPD (Indústria de Produção Discreta)

6 - DISCUSSÕES DOS RESULTADOS
6.1. Sobre a ação nas atividades de trabalho nas IPC´s (Ind. Proc. Contínuo)
6.2. Sobre a ação e a percepção na fábrica de carrocerias
6.3. Competência cognitiva dos operadores do trabalho parcelado
6.4. As falhas do observador: mundos paralelos sem conexão

7 - CONCLUSÕES

REFERÊNCIAS

Sinopse

Este trabalho analisa, em detalhe, a cognição como ação incorporada nos processos de trabalho. Os operadores não representam um mundo externo mas pensam e agem de forma interdependente. O ponto chave neste texto é que, sem nada como uma representação interna, trabalhadores (operadores) se engajam na atividade de trabalho numa coordenação sensório-motora em resposta para mudanças ambientais. Não há ruptura na experiência entre perceber, sentir e pensar. Esta pesquisa busca responder como os processos social e cultural são demandados para desenvolver esquemas-imagem e esquemas-incorporados, os quais podem realizar pensamento abstrato usando suas capacidades para percepção e resposta motora. Este trabalho postula que as expressões lingüísticas e os processos cognitivos de nível superior evidenciam padrões dinâmicos de experiência corporal recorrente denominados esquemas-imagem. Este trabalho afirma que estes padrões podem ser estendidos a estruturas de experiências não-tácita, não-física e não-visual.

Ver maisVer menos

Depoimentos sobre o livro

Envie seu depoimento

Seja o primeiro a publicar um depoimento sobre o livro!