O Present Perfect no contexto da dicotomia descrição-uso

Estudo de uma amostra

Helio Tucci

2013 — 1ª edição

Estoque esgotado

Fora de Catálogo

Sobre o Livro

ISBN: 9788580390827
Páginas: 86
Formato: 17x24 cm
Ano de Publicação: 2013
Peso: 0.215 kg

Conteúdo

INTRODUÇÃO

1. AS GRAMÁTICAS E O TRATAMENTO DADO AO EMPREGO DO PRESENT PERFECT
1.1. O conceito de Gramática
1.2. Tipos de gramática quanto à funcionalidade
1.2.1. A Gramática de Referência
1.2.2. A Gramática Normativa
1.2.3. A Gramática Didática
1.3. Tipos de gramática quanto à orientação teórica
1.3.1. A Gramática Gerativa
1.3.2. A Gramática Funcional
1.4. A análise de algumas gramáticas
1.4.1. A gramática de referência de Geoffrey Leech
1.4.2. A gramática de Dave Willis
1.4.3. A gramática de Raymond Murphy
1.4.4. A gramática de Michael Swan & Catherine Walter
1.4.5. A gramática de Graham Lock
1.5. A orientação das gramáticas em relação ao emprego do Present Perfect

2. SOBRE O ASPECTO E O TEMPO
2.1. O conceito de Aspecto
2.1.1. O aspecto perfeito e o aspecto imperfeito
2.2. O conceito de Tempo
2.3. O Aspecto e o Tempo
2.4. O Present Perfect
2.4.1. Algumas teorias sobre o Present Perfect
2.5. Uma breve conclusão sobre a questão do Aspecto e do Tempo

3. ASPECTOS TEÓRICOS SOBRE AQUISIÇÃO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA
3.1. Breve histórico sobre a aquisição de língua estrangeira
3.2. A velha nova transferência
3.2.1. Transferência total / Acesso total (Full Transfer / Full Access)
3.2.2. Acesso direto à teoria x-barra (Direct Access to X-Theory)
3.2.3. Opcionalidade e o estado inicial (Optionality and the Initial State)
3.3. Primazia do aspecto (Primacy of Aspect - POA)
3.4. Um estudo sobre a aquisição do Aspecto e do Tempo
3.5. O Present Perfect e seus equivalentes em língua portuguesa

4. A ANÁLISE
4.1. Considerações
4.2. Procedimentos
4.2.1. Frequência relativa dos usos do Present Perfect
4.2.2. Relação de ocorrências do Present Perfect

CONSIDERAÇÕES FINAIS

BIBLIOGRAFIA

Sinopse

Sua curiosa correspondência com a língua portuguesa faz do Present Perfect um dos tempos verbais mais complexos da língua inglesa no aprendizado do idioma.
A não equivalência direta de formas entre esse tempo verbal e os tempos verbais da língua portuguesa é decisiva para a complexidade da compreensão do aspecto perfeito por parte do aprendiz brasileiro. Cite-se como exemplo, na língua portuguesa, o tempo verbal pretérito perfeito composto do indicativo que, embora possua forma semelhante à do Present Perfect, expressa apenas uma parte limitada do aspecto perfeito expresso nesse tempo verbal da língua inglesa.
Este livro é fruto de uma dissertação de mestrado do programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie. O trabalho filia-se a uma proposta de análise das relações entre as descrições gramaticais do Present Perfect e o seu uso. Pequenas adaptações foram feitas em relação à dissertação original, concebida em 2006, no entanto, essas envolvem apenas a inclusão de notas explicativas entre observações complementares, sem alterações estruturais.
Assim, a obra é fiel ao trabalho original, e destina-se a professores, estudantes e profissionais das áreas de letras, linguística e língua inglesa.

Ver maisVer menos

Depoimentos sobre o livro

Envie seu depoimento

Seja o primeiro a publicar um depoimento sobre o livro!