A Psicologia Social e a Questão do Hífen

Nelson da Silva Junior (organizador) , Wellington Zangari (organizador)

2017 — 1ª edição

Formato: E-book em PDF

Sobre o Livro

ISBN: 9788580392357
Páginas: 297
Formato: E-Book em PDF
Ano de Publicação: 2017

Conteúdo

Prefácio

 

Parte 1 – Psicologia social: história e fundamentos

O psico-social/psicossocial – papel do hífen

O fenômeno psicossocial e o problema de sua proposição

A fractalidade da psicologia social

Psico-social ou psicossocial? A questão do hífen e do bio-psico-social, ou da questão ortográfica à epistemologia

 

Parte 2 – Psicologia social e comunidades

A questão “psico-social” a partir do estudo de experiências anômalas/religiosas

A visão de Arakcy Martins Rodrigues sobre a ponte indivíduo-sociedade

Psicologia social crítica na periferia do capitalismo: a elaboração do sofrimento social e a luta por reconhecimento recíproco nas periferias

 

Parte 3 – Psicologia social e psicanálise

A queda do hífen: história, política e clínica

A psicanálise como hífen psicossocial

O sofrimento como hífen na teoria social freudiana e sua atualidade. O exemplo das modificações corporais

 

Parte 4 – Psicologia social e cidadania

A imagem: unificação psicossocial por meio da experiência estética

Psicologia na saúde: sociopsicológica ou psicossocial?

Conhecimento, opinião, estereótipo e o medo da alteridade

 

Parte 5 – Psicologia social e método

A psicologia social como projeto utópico

O psíquico e o social: releituras e reflexões em busca de uma reconstrução do sentido

Leituras políticas de questões de método: o caso da psicologia social

 

Parte 6 – Psicologia social e trabalho

Os hifens das relações eu-outro e homem-trabalho no século XXI

Psicossocial: continuum ontológico do processo relacional

O trabalho como fenômeno psicossocial

Stress, coping, burnout, resiliência: troncos da mesma raiz 

Sinopse

A psicologia social nasce, no final do século XIX, a partir da constatação e conceitualização de processos psíquicos específicos às situações sociais. Processos de natureza psicológica que, contudo, não podem ser descritos como mera somatória da psicologia dos indivíduos. Por outro lado, tais processos tampouco podem prescindir dos indivíduos e de sua participação psicológica. Assim, a questão da precedência e da origem primeira entre esses dois âmbitos parece incontornável. Para além da tensão entre sua correção gramatical e seu uso no discurso, o hífen vale como uma metáfora gráfica de uma questão epistemológica de grande valor em psicologia social. Sua presença entre o “psico” e o “social” implicitamente assume que a articulação entre esses dois campos heterogêneos da experiência é posterior a sua existência. Sua ausência aponta para um quiasma entre os campos, sugerindo um elo anterior e irredutível a eles. Este livro, oriundo de um simpósio dos docentes do Programa em Psicologia Social do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (IP-USP), dedica-se a essa questão e se propõe a apresentar diferentes teorias sobre a questão do hífen em psicologia social.

Ver maisVer menos

Depoimentos sobre o livro

Envie seu depoimento

Seja o primeiro a publicar um depoimento sobre o livro!