Ciências Humanas e Comunicação

Estratégia do Desejo em Pessoa

Nyvia Cristina Bandeira de Castro

2009 — 1ª edição

Estoque esgotado

Fora de Catálogo

Sobre o Livro

ISBN: 9788561209308
Páginas: 124
Formato: 17x24 cm
Ano de Publicação: 2009
Peso: 0.270 kg

Conteúdo

CONSIDERAÇÕES INTRODUTÓRIAS

CAPÍTULO 1
Da Orla da vida ao âmago da arte
A viagem imóvel - A diversidade pessoana - O caráter múltiplo de processo criativo - A efetuação da máquina de expressão - Leitor, o cúmplice - Pessoa: o inventor de saídas - Édipo por clichê - O desvio - A reversão do Édipo: desediapianização.

CAPÍTULO 2
Do plural ao singular
O movimento intratextual - A questão do desejo - Os heterônimos: movimento de alçar-se a superfície -Despersonalização: a forma de ser plural - O rosto heteronímico como campo ilimitado de forças - Estratégia da subjetividade: singularizar - cada heterônimo, um agenciamento de forças.

CAPÍTULO 3
Do processo criativo
Profundidade versus superfície - Lucidez e loucura - A questão do paradoxo - Operadores, executantes, abortadores do processo: traços de rostidade, excedentes e refrão - Entre o pensar e o fazer - O Real - O sonho.

CAPÍTULO 4
Da efetuação dos personagens
A questão da multiplicidade - A Obra: uma reação químico literário - A organização dos traços de rostidade em heterônimos - A presença dos traços de rostidade em um semi -heterônimo - A consistência e diluição do traçado.

CAPÍTULO 5
Das transições
Os excedentes - O refrão.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Sinopse

Este livro, é uma tentativa de cartografar a obra de Fernando Pessoa, foi desenvolvido no decorrer do mestrado da Profa. Dra. Nyvia Cristina Bandeira de Castro. A hipótese que sustenta o desenvolvimento deste trabalho é que os vários heterônimos pessoanos nada mais são do que corpos-texto: desestruturação e atualização presentes na prática criativa do autor, e que o expõe numa condição de finito e limitado, exigindo dele um eterno recomeço.Tal prática criativa torna impossível a existência de uma identidade fixa, constante e ilimitada, exigindo do autor uma recriação incessante.

No processo criativo pessoano predomina segundo a autora, uma "vontade de expansão" na qual vale tudo. Tudo que esteja a serviço da criação Fernando Pessoa incorpora, isto é, traz para dentro do corpo literário. O mapeamento desse Pessoa, que se apresenta como a própria produção do diverso, é o que se coloca aqui, como objetivo deste texto.

Ver maisVer menos

Depoimentos sobre o livro

Envie seu depoimento

Seja o primeiro a publicar um depoimento sobre o livro!